Dividendo sintético: o que é e como funciona?

Um dos objetivos de quem investe em ações é lucrar com os dividendos que muitos desses títulos pagam. Porém, não é todo mundo que conhece o dividendo sintético.

Você já ouviu falar a respeito? Pois saiba que o dividendo sintético é mais uma forma de lucrar com ações, inclusive em momentos de baixa da bolsa.

Quer saber como isso funciona? Então, continue a leitura e descubra a seguir!

O dividendo sintético é uma operação com opções, também conhecida como venda coberta ou lançamento coberto.

Aqui no Yubb, a gente já falou sobre como funcionam as opções. Elas não são um ativo, e sim um direito que o investidor tem de comprar ou vender determinado ativo em uma data futura, por um preço preestabelecido.

Saiba mais sobre como funcionam as opções neste artigo. 

O dividendo sintético corresponde ao prêmio que o investidor recebe quando lança opções de compra de ações da sua carteira. Ou seja, é o valor recebido do comprador da opção de compra.

Funcionamento do dividendo sintético

Antes de mais nada, é preciso entender o que significa venda coberta ou lançamento coberto.

Se você leu o link acima, já sabe que, para negociar opções, você não precisa ser dono das ações. Se ainda não leu, recomendamos que faça isso para entender melhor os conceitos que veremos a seguir 😉.

Quando falamos em venda coberta, estamos nos referindo às opções cujas respectivas ações já estão na carteira do investidor. Ou seja, essas opções estão cobertas pelas ações, certo?

Dá para dizer que a venda coberta é uma forma de financiamento das ações que o investidor já possui em carteira. Isso porque ela permite mais uma forma de rentabilizar essas ações, além da valorização dos títulos e do pagamento de dividendos.

É importante deixar claro que, no caso das opções de compra, o comprador não é obrigado a exercer o direito de compra no vencimento do título. Porém o investidor que vendeu a opção de compra é obrigado a vender a sua ação caso o comprador deseje adquiri-la.

Perceba que, em ambos os casos, o detentor da ação terá ganho. Isto é, se o comprador da opção desejar exercer o seu direito de compra da ação, ele pagará o valor do título ao vendedor. Mas, se não for vantajoso para o comprador da opção exercê-la, o detentor continuará com a ação na carteira e terá lucrado com a opção, que foi paga no momento da contratação.

Afinal, vale a pena utilizar o dividendo sintético?

Essa estratégia acaba sendo interessante para o investidor que tem ações ociosas na carteira. Ou seja, títulos que não estão gerando o rendimento desejado no momento.

No entanto, há o risco de, no vencimento da opção, a ação ter tido uma supervalorização e o seu preço de mercado estar bem acima do strike (preço de exercício da opção). Se isso acontecer, significa que o dono da ação terá perda financeira. ele simplesmente deixará de ganhar com a valorização do título, pois terá a obrigação de vendê-la a quem comprou a opção se essa for a vontade do comprador.

As opções são um tipo de derivativo, utilizadas para especulação. O assunto é complexo, mas vale a pena saber mais a respeito, pois esses instrumentos possibilitam alta rentabilidade. Se quiser saber mais sobre derivativos, clique abaixo, ou mande suas dúvidas e comentários!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo