Cold wallet para criptomoedas: o que é e como funciona?

Uma das grandes preocupações de quem investe em bitcoin, ethereum e outras criptomoedas é sobre a segurança desses ativos. Afinal, diferentemente de outros investimentos, no caso de um ataque de hackers, não é possível rastrear as criptomoedas, pois elas não pertencem a nenhum sistema financeiro.

A boa notícia é que existem, sim, formas seguras de guardar esses investimentos, e uma delas é a cold wallet. A seguir, veremos o que é e como funciona esse instrumento, confira!

O que é cold wallet para criptomoedas?

Cold wallet (ou “carteira fria” em português) é uma opção para guardar as criptomoedas que não está conectada à internet. Isso significa que, ao utilizar a carteira fria, os criptoativos ficam offline e, dessa forma, mais protegidos contra eventuais ataques cibernéticos.

Portanto, para quem deseja investir em criptomoedas tendo em vista o longo prazo (buy and hold), é importante pensar nesse sistema de proteção.

Cold wallet x hot wallet: qual a diferença?

Outro tipo de segurança para criptomoedas são as hot wallet. Diferentemente das cold wallet, esse sistema fica direto conectado à internet. Dessa forma, o seu funcionamento acaba sendo mais prático no dia a dia.

Em outras palavras, a cold wallet funciona como um cofre, ao passo que a hot wallet pode ser comparada a sua conta corrente no banco.

Outra diferença entre os dois sistemas é o fato de muitas hot wallet serem gratuitas, sendo necessário somente um registro para sua utilização. Por sua vez, todas as cold wallets são pagas, justamente porque proporcionam mais segurança em todas as situações.

Clique aqui e conheça diferentes tipos de criptomoedas.

Tipos de cold wallets

Agora que já entendemos o que são e para que servem, vejamos quais os tipos e as características das cold wallets disponíveis:

Paper wallet

Essa é a opção mais simples (e também a mais barata) entre as cold wallets. Isso porque, como o próprio nome diz, são impressas em papel, e funcionam por meio de um par de chaves pública e privada.

Como é um sistema offline, não está sujeita a invasores. Porém, as desvantagens são, justamente, a utilização do papel, já que ele pode ser extraviado, roubado ou se deteriorar com o tempo.

Desktop wallet

Também é uma opção segura de cold wallet. Esse tipo de sistema fica disponível somente no desktop ou notebook, e permite utilização offline para operar com chaves de criptografia. No entanto, para efetuar movimentações, o usuário precisará estar online.

Hardware wallet

Considerada a carteira mais segura do mercado, a hardware wallet também utiliza chaves privadas para as transferências. Ela permite que os arquivos sejam recuperados caso sejam perdidos ou danificados, utilizando uma chave de backup. Outra vantagem dessa carteira é a menor chance de ser copiada.

No entanto, a hardware wallet é mais cara do que as outras opções. Além disso, não são todas as criptomoedas que ela pode suportar.

USB Wallet

Por fim, o sistema USB wallet é o de mais fácil acesso e utilização. Isso porque, por meio dele, qualquer um pode acessar as criptomoedas ao exportar e salvar as chaves privadas. Por isso, é necessário muito cuidado na utilização, para não perdê-lo ou danificá-lo em virtude da proximidade de ímãs, por exemplo.

Deu para entender o que é e para que serve cold wallet? Neste vídeo, o Bernardo mostra como transferir as criptomoedas para esse sistema de segurança.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo