The Most Important Thing: resenha do livro

Citado como referência por mega investidores como Warren Buffet, Ray Dalio e outros, The Most Important Thing foi escrito por Howard Marks, outro grande investidor da atualidade.

A seguir, confira algumas das principais ideias do livro, e descubra por que a obra é tão referenciada por investidores no mundo inteiro. Continue a leitura!

Em A Coisa Mais Importante, Marks fala não de uma, mas de várias coisas importantes na hora de investir. Não se trata de um livro de análise de investimentos, mas sim da mentalidade do investidor ao fazer uma escolha.

A seguir, veja os principais pontos que selecionamos do livro:

Segundo nível de pensamento

Talvez esse seja um dos conceitos mais importantes do livro. Segundo Howard, o pensamento de primeiro nível é aquele fácil e superficial, ou seja, está ao alcance de todos. Já o de segundo nível é mais trabalhoso, pois está acima do óbvio.

Um exemplo de Marks ilustra bem a ideia. Para ele, não adianta sabermos quais os melhores setores da bolsa para comprarmos as ações. Em vez disso, deve-se descobrir quais setores têm potencial mas ainda não foram descobertos. Isso sim é pensamento de segundo nível.

Gestão de risco

Outro ponto importantíssimo do livro é sobre o entendimento e gestão do risco. Nesse sentido, Marks reforça a ideia de que não há como evitar o risco, pois ele está presente em todos os investimentos. No entanto, é preciso estar preparado para reconhecê-lo assim que apareça. somente dessa forma será possível controlá-lo.

Segundo o livro, uma das formas de reconhecer o risco é conhecer o que outros já fizeram de errado, para não repetir as mesmas ações. Marks se refere a isso no livro como “combate a influências negativas”. Ou seja, a observação do erro alheio também é uma forma de se proteger contra riscos.

Investidor contrário

Ser um investidor contrário é, literalmente, ir contra a maré. Mas atenção: não se trata de simplesmente dar o contra no que todos estão fazendo, mas sim de avaliar se as tendências têm ou não algum fundamento. Em outras palavras, Marks alerta para o perigo do “efeito manada” entre os investidores.

Ciclos e efeito pêndulo

Marks também chama atenção para o fato de que nada é imutável. Ou seja, os ciclos fazem parte de todos os aspectos da vida, e com os investimentos isso não é diferente.

Analisando os ciclos, podemos aprender também com o efeito pêndulo. Nesse sentido, é normal vermos euforia no mercado em tempos de prosperidade. Nessas horas, as pessoas querem comprar, mesmo que os ativos estejam com os preços lá em cima.

No entanto, quando os ciclos de prosperidade são interrompidos e começa o declínio, muitos correm para vender esses ativos, mesmo que os preços já tenham despencado. Nesses momentos, é necessário calma e prudência, para não perder dinheiro.

Por fim, o autor reforça que, já que não há como evitar ou prever quando os ciclos chegarão, devemos saber onde estamos nele. Dessa forma, conseguiremos tomar as melhores decisões (e nos momentos certos) sobre os nossos investimentos.

Humildade e investimento defensivo

Muitas vezes, o sucesso de alguns investimentos está ligado simplesmente à sorte, não à genialidade do investidor. Para Howard, é muito importante que se tenha sempre a humildade de reconhecer isso.

Por fim, o autor alerta para o fato de que não se deve tentar ganhar sempre. Em momentos de alta do mercado, por exemplo, o investidor deve se preocupar mais em acompanhar o mercado (ou em não perder dinheiro) do que em superá-lo.

Essas foram algumas das principais ideias de The Most Important Thing. Conte para nós: faz sentido para você? Deixe seus comentários!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo