O que é backtesting e qual a sua importância?

Basicamente, o backtesting é a avaliação de uma estratégia de investimentos a partir da análise de dados históricos do mercado. O objetivo dessa técnica é analisar esses dados e verificar se as estratégias adotadas colaboraram para o sucesso do investimento.

Se o backtesting concluir que a estratégia atingiu bons resultados, o investidor a adotará novamente para novas aplicações. Caso contrário, ela será modificada ou simplesmente descartada para próximos investimentos.

De forma geral, o backtesting é muito utilizado na análise técnica de ações, tanto por traders quanto por investidores. Um dos investimentos que utilizam essa estratégia são os fundos quantitativos, os quais detalhamos mais nesse post.

Como fazer backtesting?

Antes de mais nada, é fundamental ter uma base de dados confiável e com o maior período possível de informações sobre o ativo. Isso porque, quanto mais longo for o período analisado, mais situações diferentes de mercado (como altas e baixas) o estudo irá contemplar. Dessa forma, a avaliação da estratégia poderá ser mais fidedigna.

Além disso, é preciso utilizar um software ou site que disponibilize o teste. No passado, somente programadores tinham acesso a esses sistemas e podiam realizar o backtesting. Porém, atualmente essas ferramentas já são bem mais acessíveis.

Outro fator importante para o sucesso do backtesting é a quantidade de simulações realizadas. Esse processo demanda tempo, por isso muitos simuladores de backtesting são adaptados para diminuir o número dessas operações. Entretanto, é importante ter claro que, quanto mais simulações ocorrerem, mais o backtesting se aproximará da realidade do mercado.

O backtesting é confiável?

Embora a técnica seja muito utilizada no mercado, é importante saber que não há garantia de assertividade total. Isso porque sempre haverá possibilidade de falhas nos softwares ou no banco de dados utilizados.

Outro ponto a ser avaliado é quantidade de testes realizados. Além disso, para produzirem bons resultados, esses testes devem ser feitos em condições diferentes de mercado. Caso contrário, podem distorcer resultados ao apontarem conclusões que são adequadas a uma e não a outra condição de mercado.

Por fim, mesmo que tudo corra bem, não há garantia de que o resultado dos investimentos repita o comportamento passado. Afinal, o mercado é cheio de incertezas e, dependendo da situação da economia, poderá haver maior ou menor volatilidade nos ativos. 

Conclusão

Como vimos, o backtesting é uma ferramenta muito utilizada por investidores no mercado de capitais. E, quando ele é apoiado em um banco de dados confiável, pode ser muito útil na escolha do portfólio. Dessa forma, as possibilidades de que traga bons ganhos para o investidor são grandes.

No entanto, sempre é interessante utilizar diferentes formas de análise de investimentos, principalmente quando se espera resultados de longo prazo. Nesse sentido, mesclar dados históricos com uma análise fundamentalista permite elaborar uma estratégia mais assertiva em termos de resultados.

Deu para entender como funciona o backtesting? Quer saber mais sobre o assunto, ou sobre outras formas de análise de investimentos? Deixe aqui os seus comentários!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo