À prova de fogo

Momento decisivo para criptomoedas

evento online e gratuito 4 a 7 de Julho às 19h

Inscreva-se

Trava de baixa: o que é e como funciona?

Investir através de estratégias no mercado de opções é uma boa forma de amplificar lucros, porém também envolve riscos. As operações com derivativos acabam incentivando os investidores a estudarem os próprios ativos principais de forma mais atenta para que seja possível montar a estratégia correta.

A trava de baixa é uma das estratégias que podem ser formadas operando opções, nela o investidor acredita em uma queda do preço dos ativos e se prepara para lucrar neste momento de forma controlada para evitar riscos.

Conheça neste artigo a trava de baixa e descubra se operar opções é uma boa para você.

Estratégias com derivativos

Os derivativos são contratos futuros negociados na bolsa de valores em que o preço de um ativo principal é acordado para uma data futura. Por não se tratar do ativo em si, mas de um acordo, essas ferramentas possuem preços mais acessíveis que permitem ao investidor maiores lucros quando realizadas operações bem sucedidas.

Existem diversas estratégias já definidas a serem aplicadas com base na observação do ativo principal que podem ajudar o investidor a ganhar dinheiro no curto prazo, algumas dessas operações possuem maior e outras menor risco.

A trava de baixa

A trava de baixa é uma estratégia de operação estruturada em que temos mais de uma negociação e por meio da qual se espera um objetivo específico. Na trava de baixa, o investidor acredita na queda do preço do ativo principal na data de vencimento das opções e monta sua operação buscando o lucro com esse movimento.

A operação pode ser composta por calls - opções de compra ou por puts - opções de venda.

Independente da opção escolhida, nessa estratégia o investidor pretende lucrar através do spread ou seja, da diferença entre as duas opções que são lançadas. Por isso, ele compra a ação e a vende por um strike - preço alvo diferente posteriormente.

Como a operação é montada em cenários de baixa, existe o risco de o investidor acabar tendo de vender o ativo por um preço bem abaixo do esperado caso ocorra queda brusca do mercado e assim realize prejuízo.

A principal vantagem desse tipo de operação está na previsibilidade do prejuízo que dependerá também da diferença entre as opções lançadas no mercado multiplicada pela quantidade delas. Neste ponto a desvantagem de “travar” os lucros máximos faz sentido já que o prejuízo máximo também pode ser controlado.

Quem deve operar uma trava de baixa?

Quem deseja fazer operações com derivativos deve primeiro se preparar, estudando a fundo as estratégias e buscando compreender todo o risco envolvido para não comprometer seu patrimônio.

Apesar de ser conhecida como uma estratégia mais simples, um erro na montagem da trava de baixa pode gerar prejuízos expressivos para o investidor, dessa forma se você não compreendeu bem ainda, estude mais e comece operando com valores mais baixos para não se surpreender com prejuízos.

Se você não possui tanto apetite para o risco mas quer investir em renda variável existem outras formas de ganhar dinheiro com ações ou fundos imobiliários, use nosso buscador para achar o melhor investimento para você.

Para conhecer outras formas de investir e se preparar para avançar no conhecimento e assim poder tomar mais riscos e ter melhores retornos, não deixe de acompanhar os conteúdos do Yubb. Temos cursos e artigos sobre diversos assuntos do mercado financeiro que com certeza farão diferença na hora de você escolher como investir seu dinheiro, não deixe de conferir!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo