Como a taxa de juros influencia a bolsa de valores?

A taxa básica de juros no Brasil (Selic) é definida a cada 45 dias pelo COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central), com base nos empréstimos de curta duração entre bancos. Esses empréstimos são garantidos por títulos públicos e duram apenas um dia (são as chamadas operações “overnight”).

A taxa de juros é usada, por exemplo dos bancos, como uma referência para empréstimos e financiamentos. Uma vez que a taxa está alta, o consumo fica desestimulado, pois a oferta de crédito fica mais cara e os investimentos em renda fixa, que na maioria das ocasiões se atrelam a taxa de juros, ficam bem mais atrativos do que a própria bolsa de valores.

Uma oferta de crédito mais cara prejudica e diminui os investimentos que as empresas fazem para expandir seus negócios e, como o consumo também está menor, as empresas são obrigadas a diminuir o ritmo de produção e diminuir o número de funcionários. Desestimulando, novamente, o investimento na bolsa de valores.

A taxa de juros mais baixa é benéfica para a Bolsa?

Sem sombra de dúvidas. Uma taxa de juros reduzida beneficia a bolsa de valores por diversos fatores. Dentre eles:

  • Os investimentos em renda fixa se tornam muito menos atrativos, no que se refere a rendimentos (alguns chegam até a perder rendimento para a inflação);
  • A oferta de crédito melhora e o consumo volta a ser estimulado;
  •  Os empréstimos e financiamentos voltam a ser mais acessíveis e vantajosos;
  • Com o aumento do consumo, as empresas produzem mais e podem contratar mais.

A partir do momento em que as empresas aumentam seus desempenhos, assim como a remuneração dos acionistas e a renda fixa não é mais atrativa, ocorre uma procura maior pela bolsa de valores.

É o que mostra este gráfico de 2020, em que a taxa de juros atingiu a mínima histórica de 2%, ocorrendo um recorde de novos investidores pessoa física na B3, como pode ver na imagem abaixo:

Fonte: B3

Portanto, conclui-se que uma taxa de juros alta prejudica a economia, dificultando os empréstimos e financiamentos, o que afeta os resultados das empresas. Tornando os investimentos em renda fixa mais atrativos, que passam a ser considerados mais rentáveis e seguros, afastando o investidores da bolsa.

Do contrário, uma taxa de juros baixa estimula a economia, os empréstimos e financiamentos ficam mais acessíveis, o consumo volta a crescer, o que melhora o desempenho das empresas, pois elas estão produzindo e contratando mais. Sendo assim, com uma maior lucratividade das empresas e a renda fixa, que passa a ser um investimento de baixíssimo rendimento, a bolsa de valores se torna mais atrativa para os investidores.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo