Halving do bitcoin: o que é e como funciona?

O próximo halving do bitcoin ocorrerá em 2024. Trata-se de um processo que acontece a cada quatro anos, utilizado para garantir a escassez da criptomoeda.

Continue a leitura e entenda como funciona o halving do bitcoin

Halving do bitcoin e a mineração

Antes de mais nada, é importante retomarmos o conceito de mineração das criptomoedas.

Diferentemente das moedas fiduciárias, não existe nenhum banco central que emita ou regule a circulação das criptomoedas. Uma vez que não podem ser criados, esses ativos precisam ser encontrados na rede blockchain por meio da mineração (da mesma forma que acontece com o ouro, por exemplo).

Por sua vez, a mineração consiste na resolução de várias operações matemáticas para que um bloco se ligue a outro na rede blockchain. Cada vez que uma dessas operações é solucionada, um novo bloco é minerado, ou seja, transmitido à rede blockchain.

Quando um minerador consegue resolver esses problemas, é remunerado com algumas frações de bitcoin. No início, havia poucos mineradores e esse processo podia ser feito utilizando um PC comum. Com o passar do tempo, cada vez mais existem mineradores na blockchain tentando encontrar bitcoins e outras criptomoedas.

Atualmente, mais ou menos a cada 10 minutos um novo bloco de bitcoin é minerado na rede. A grande quantidade de mineradores hoje fez com que fosse necessário muito mais poder computacional para que se consiga encontrar criptomoedas.

É justamente aí que entra a importância do halving do bitcoin, cujo funcionamento veremos a seguir.

Como funciona o halving

Quando criou o bitcoin, Satoshi Nakamoto espalhou as criptomoedas por toda a rede blockchain. Como vimos, a única forma de serem encontradas é por meio da mineração.

A quantidade de bitcoins no sistema é liberada por blocos. Porém, a quantidade de criptomoedas dentro de cada bloco liberado diminui pela metade a cada quatro anos. De 2016 a 2020 (ano do último halving), os mineradores conseguiam retirar 12,5 bitcoins de cada bloco. A partir de 2020, a quantidade de BTC liberada por bloco passou a ser de 6,25. Em 2024, quando acontecerá o próximo halving, a quantidade de criptomoedas por bloco reduzirá novamente pela metade.

Atualmente, cerca de 19 milhões de BTC já foram minerados. Com os próximos halvings previstos, a expectativa é de que o último bloco seja encontrado na blockchain em 2140.

Quando o halving acontece, os mineradores saem perdendo, ao menos no início do processo. Isso porque a recompensa pelos seus serviços acaba também sendo reduzida. Dessa forma, a expectativa de muitos usuários é de que as taxas do BTC acabem encarecendo, justamente para tentar compensar as perdas sofridas pelos mineradores nesse processo.

Reflexos do halving no bitcoin

Como vimos no início, o halving existe justamente para garantir escassez ao bitcoin. Em outras palavras, ele regula a quantidade de criptomoedas em circulação na rede, já que não existe nenhuma autoridade monetária que possa fazer isso.

A retirada de unidades do BTC de circulação ajuda a manter o ativo valorizado, se considerarmos a lei da oferta e demanda. No entanto, Isso não é garantia de que a criptomoeda não perderá valor, tendo em vista a extrema volatilidade desses ativos.

Se você se interessa pelo universo das criptomoedas, dê uma olhada também nos conteúdos abaixo!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo