Como investir no exterior sem abrir conta em outro país?

Os juros baixos e a instabilidade da economia têm despertado interesses sobre investir em ativos estrangeiros. Porém, o que alguns ainda não sabem é que existem formas de fazer isso sem precisar ter conta em outro país.

A seguir, veja 4 opções de investimentos estrangeiros que você pode fazer sem precisar abrir uma conta lá fora! 

Fundos cambiais 

Os fundos cambiais são uma das formas mais fáceis de investir em moeda estrangeira sem abrir conta em outro país. Esses fundos investem predominantemente em ativos atrelados a moedas estrangeiras.

Além de proporcionarem boas chances de rentabilidade, eles também podem ser  utilizados para proteger o patrimônio dos riscos da economia local. E, também, contam com gestão profissional, o que dá mais segurança ao investidor.

Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Os BDRs são títulos negociados na bolsa de valores brasileira que representam ações de empresas estrangeiras. Eles são comercializados em reais, porém sua cotação varia de acordo com a moeda do país da companhia.

Ao adquirir um BDR, o investidor está, indiretamente, participando da companhia no exterior. Logo, terá direito aos dividendos distribuídos por ela lá fora.

Recentemente, os BDRs ficaram mais acessíveis ao público em geral. Isso porque, a partir de outubro de 2020, esses títulos podem ser adquiridos também por investidores não qualificados.

Exchanged Traded Funds (ETFs) 

Os ETFs são fundos que replicam índices de bolsas, como a de Nova York (NYSE) por exemplo. Logo, ao adquirir um ETF, o investidor tem acesso a ativos internacionais de uma forma mais acessível do que se adquirisse diretamente os papéis dessas companhias.

Da mesma forma que outros fundos, os ETFs também têm gestão profissional. Logo, para aplicar nesses títulos, o investidor precisa apenas comprar as cotas. 

Um dos pontos positivos dos ETFs é a sua acessibilidade. Atualmente, existem no mercado cotas a partir de R$ 55,00, e o lote mínimo de negociação passou de dez para uma unidade. 

Certificado de Operações Estruturadas (COE) 

O COE é uma modalidade ainda recente no Brasil, mas bem popular nos Estados Unidos e na Europa. Essa aplicação permite ao investidor combinar a segurança da renda fixa com a rentabilidade da renda variável, por meio da diversificação dos ativos. 

Uma das vantagens do COE é o fato de ele abranger vários perfis de risco. Isso porque, no momento da aplicação, o investidor pode escolher a modalidade capital protegido. Dessa forma, ele terá garantido 100% do recurso inicial aplicado, independentemente das oscilações do mercado. 

Por outro lado, o COE não oferece liquidez diária. Logo, o investidor pode ter dificuldades para achar comprador caso deseje vendê-lo antes do vencimento. 

Além disso, mesmo que consiga vender, ele será negociado a valor de mercado. Dessa forma, não há garantia de que o investidor o faça com lucro.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo