Como investir nas carteiras recomendadas das corretoras?

Como já falamos aqui, as carteiras recomendadas podem ser boas opções para quem está iniciando no mundo dos investimentos. Afinal, seus ativos são selecionados e acompanhados por profissionais especializados para isso.

Mas como investir nas carteiras recomendadas? O que o investidor precisa saber para escolher a melhor opção para os seus recursos? Pensando nisso, preparamos quatro dicas que podem facilitar as suas escolhas. Vamos a elas!

1.    Defina o seu perfil de investidor

Esse é o primeiro passo para quem deseja diversificar fora da reserva de emergência.

Não adianta uma instituição criar uma carteira recomendada genérica. Afinal, existem perfis conservadores, moderados e arrojados, e cada carteira atenderá a um tipo determinado de investidor.

Logo, é importante conhecer o seu perfil para escolher conforme a sua tolerância ao risco.

2.    Conheça o conceito e o histórico de assertividade da corretora

Agora que você já sabe o seu perfil de investidor, é hora de escolher a corretora.

Nesse sentido, evite ir atrás de qualquer indicação. Em vez disso, procure informações sobre as equipes técnicas das corretoras. Quem são os profissionais, que estratégias eles seguem, qual o histórico de resultado de suas carteiras recomendadas, tudo isso pode lhe ajudar a tomar a decisão correta.

É claro que ninguém consegue prever o futuro, porém, quanto mais informações você tiver, mais chance terá de alcançar com ganhos com menores riscos.

3.    Conheça o atendimento da corretora

Além da qualidade técnica da corretora, é muito importante saber como os profissionais interagem com os investidores. Nesse sentido, é fundamental que sejam disponibilizadas análises e relatórios que permitam ao cliente acompanhar e entender a evolução dos investimentos.

É fácil acessar essas informações no site? O cliente recebe relatórios periódicos? A corretora explica os motivos pelos quais está indicando determinado ativo? Essas são algumas das perguntas que você deve fazer para escolher a melhor instituição. 

4.    Entenda qual o tipo de carteira recomendada mais adequado aos seus objetivos

Antes de mais nada, você precisa definir quais os objetivos do seu investimento.

Você deseja investir para ter uma renda mensal? Então, uma carteira recomendada baseada em ativos que pagam dividendos pode ser a sua melhor opção.

Você não se importa em não receber dividendos, e pode deixar o seu dinheiro aplicado por um longo período? Nesse caso, uma boa alternativa seria uma carteira recomendada de small caps (empresas com menor liquidez mas com bom potencial de valorização).

Porém, se optar por small caps, esteja pronto para diversas oscilações nos valores desses títulos ao longo do tempo. Por isso, essas ações são recomendadas para perfis mais arrojados.

Por fim, o seu problema não é o prazo, mas deseja correr o mínimo risco possível. Nessa situação, prefira as carteiras recomendadas de renda fixa e, também, de ações blue chips, que são as empresas mais sólidas da bolsa de valores.

Deu para entender o que é necessário para investir em carteiras recomendadas? Ficou com alguma dúvida, ou gostaria de saber mais sobre o assunto? Deixe aqui os seus comentários!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo