CDS (Credit Default Swap): o que é e como funciona?

O risco é algo comum e inerente aos investimentos, porém é essencial controlar sua exposição a ele. Existem várias formas de controlar a sua exposição ao risco e até mesmo evitá-la, em algumas operações o ideal mesmo é possuir um “seguro” que te ajude a minimizar as perdas.

Uma das ferramentas que pode ser utilizada para o controle de risco é o CDS - Credit Default Swap que apesar de possuir uma importância elevada no mercado financeiro não é conhecido a fundo pela maioria dos investidores.

Essa ferramenta é tão importante que é utilizada como um indicador do risco de se investir no país.

Para não ficar com dúvidas sobre o Credit Default Swap - CDS preparamos este artigo com uma forma simples de te explicar esse derivativo, não deixe de ler até o fim.

O que é o CDS - Credit Default Swap?

O CDS ou Credit Default Swap é um derivativo, ou seja, um contrato que deriva de um outro ativo financeiro e possui um preço para uma possível negociação. No caso do CDS, o ativo financeiro principal é uma operação de crédito.

O CDS é um seguro contra um possível calote sendo um contrato bilateral particular firmado entre o credor e alguém disposto a arcar com o prejuízo em troca de um valor acordado.

Credit Default Swap - CDS como indicador de risco

Por representar a busca por uma solução para a inadimplência a quantidade de CDS -Credit Default Swap realizados é tido como um indicador do risco de um país. Quanto maior for a quantidade de CDS feitos, mais o mercado acredita em um risco elevado para os investimentos no país fazendo parte dos indicadores do Risco País.

Como funciona a operação de Credit Default Swap?

No Credit Default Swap o contrato tem por objetivo proteger-se de uma possível situação de inadimplência - por isso ele é tido como um seguro. O credor que possui a incerteza de pagamento de um empréstimo busca no mercado alguém disposto a arcar com o prejuízo ou parte deste se o valor não for pago. Por sua vez, alguém confiante no compromisso da empresa aceita correr o risco de ter de arcar com uma possível compensação de prejuízo a troco de um prêmio de risco.

Dessa forma ele é muito utilizado para operações de proteção mas também para o lucro de quem consegue fazer boas análises de risco e receber o prêmio sem o custo posterior de um prejuízo. Para receber um bom retorno porém o vendedor deve fazer uma boa análise da situação do crédito e buscar cobrar um preço justo que compense o risco para ele também.

O Credit Default Swap é um swap para a diminuição de riscos, todavia, em uma hipótese de falência ainda há o risco do comprador do contrato não receber seu pagamento por parte do vendedor que assumiu aquele risco.

Como ocorre a negociação de Credit Default Swap?

As operações com CDS são convidativas pois possuem bastante liquidez e podem ser negociadas em títulos de outros países sem a preocupação com o mercado de câmbio.

Grande maioria dos CDS exige ainda o pagamento de prêmios contínuos para a manutenção do contrato até a sua data de vencimento que pode variar entre 1 a 10 anos.

Os contratos de Credit Default Swap são publicados pela Associação Internacional de Swaps e Derivativos (ISDA) sendo negociados no mercado de balcão.

O CDS não é o único derivativo da bolsa de valores, porém é um dos mais importantes tendo em vista sua relação de proteção e transferência de riscos sendo muito usada por grandes fundos e gestoras

Aprenda mais sobre o mercado financeiro e invista melhor, entre em nossa plataforma e veja como podemos te ajudar a melhorar seus investimentos.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo