Poupança ou CDB: qual é melhor?

Antes de responder a essa pergunta, você precisa saber como funcionam esses dois tipos de investimento.

Para escolher a melhor opção para sua carteira, você deve compará-los por quatro aspectos: liquidez, rentabilidade, imposto de renda, aplicação mínima.

No quesito segurança, não tem diferença. As duas modalidades são consideradas de baixo risco, pois contam com o benefício do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Essa iniciativa assegura perdas de até R$ 1 milhão, caso a instituição financeira passe por problemas e não honre com seus compromissos.

Ou seja, se por acaso o banco recebedor do depósito de poupança ou emissor do CDB (Certificado de Depósito Bancário) falir, o investidor tem garantido uma certa quantia desse montante.

Diferente dessa característica, os CDBs e a poupança são diferentes em diversos outros pontos:

1. Liquidez

A liquidez da poupança é diária. Ou seja, isso significa que você pode sacar seu dinheiro investido a qualquer momento.

Enquanto isso, o CDB pode ter liquidez diária ou no dia do vencimento. Isso porque esse tipo de investimento é um produto muito diversificado no mercado financeiro. Ou seja, não existe uma regra quanto à sua liquidez.

Portanto, antes de investir numa dessas opções, confira qual é a liquidez do ativo que você vai aplicar seu dinheiro.

Lembrando que, geralmente, as maiores rentabilidades estão relacionadas àqueles investimentos com maior duração de tempo.

2. Rentabilidade

Talvez seja essa a principal característica analisada na hora de investir. No entanto, é importante que ela seja observada de forma conjunta com os outros fatores e não isoladamente.

A rentabilidade da poupança depende de uma regra que vai de acordo com a taxa Selic. Quando ela for maior ou igual a 8,5%, os ganhos da poupança são de 0,5% ao mês + Taxa Referencial (TR). Se o valor for abaixo de 8,5%, o rendimento é de 70% da Selic + TR.

Desde 2017, a Selic está abaixo dos 8,5% e a TR é zero desde 2018. Com isso, o atual rendimento da poupança é de 70% da taxa Selic. Ou seja, ao ano, ela rende 1,4% - valor bem abaixo da inflação - que até novembro de 2020, acumula alta de 3,92%.

Enquanto isso, o CDB possui rentabilidades muito mais atrativas. Normalmente, os ganhos são atrelados aos CDI - que é um valor um pouco menor que a Selic.

Mesmo assim, atualmente, não é difícil encontrar investimentos desse tipo que oferecem rendimentos de mais que 100% do CDI. Ou seja, com resultados melhores que os oferecidos pela poupança.

3. Imposto de Renda

A poupança é isenta da cobrança de imposto de renda (IR). Diferentemente disso, os CDBs contam com as alíquotas da tabela regressiva do IR. Ou seja, quanto maior o tempo investido, menor será a taxa cobrada em cima dos rendimentos.

A taxa varia de 22,5% para aplicações de até 180 dias e vai até 15% para os papéis que têm vencimento maior que dois anos.

4. Aplicação mínima

Neste aspecto, a poupança não exige nenhum valor mínimo para investimento. Já os CDBs exigem quantias mínimas para aplicação. No entanto, há possibilidades bem baratas para investir nessa modalidade.

Na data que escrevemos esse artigo, fizemos uma busca rápida pelo Yubb e encontramos cinco possibilidades de investimento em CDBs que tem aplicação mínima de R$ 1,00. Ou seja, esta característica não é um fator impedidor para escolha entre poupança e CDB.

Como encontrar o melhor investimento?

O Yubbé um buscador de investimento totalmente gratuito onde você encontra as melhores opções para sua carteira. Além disso, a plataforma tem todas as características descritivas dos ativos para que você tome a melhor decisão.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo