Qual é a diferença entre fundo de tijolo e de papel?

Os fundos imobiliários estão cada dia mais populares no mercado, e uma dúvida bastante comum é: invisto em fundo de tijolo ou papel?

Esses dois tipos de fundos imobiliários têm diferentes características, e já vamos te explicar, mas primeiro...

O que é um Fundo de Investimento Imobiliário?

Podemos definir um fundo imobiliário como uma comunhão de recursos de pessoas que investem no mercado imobiliário. Essas pessoas, ou melhor, investidores, são chamados de cotistas, pois eles vão comprar cotas de um fundo.

Esse fundo, portanto, com os recursos dos cotistas, vão comprar participações em imóveis, podendo eles serem shoppings, lajes corporativas, prédios comerciais, centros logísticos e outros papéis do mercado financeiro, sempre atrelados ao mercado imobiliário.

FIIs são interessantes porque a acessibilidade e diversificação é muito grande. Você consegue, com pouco dinheiro, acessar uma série de imóveis que, se fosse investir diretamente, a quantia de dinheiro demandada seria altíssima e, para diversificar, precisaria de mais recursos para comprar outro imóvel.

Outro ponto que deve ser comentado é a forma como os cotistas são remunerados em FIIs. Os cotistas recebem, mensalmente, os aluguéis dos imóveis que compõem aquele determinado fundo, além de ganharem com a valorização das cotas.

Vamos agora entender o que é um fundo de tijolo e o que é um fundo de papel.

O que é um fundo de papel?

Um fundo imobiliário de papel vai ter como composição dele os chamados recebíveis. Recebíveis nada mais são que títulos de renda fixa com lastro no mercado imobiliário, podendo ser, por exemplo: CRI e LCI.

CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários)

CRI é um título de renda fixa emitido exclusivamente por uma securitizadora, com lastro em empreendimentos imobiliários e que pagam juros ao investidor.

Investir diretamente em um CRI às vezes não é tão acessível para o investidor, isso porque os CRIs, geralmente, exigem uma quantia mínima alta e, além disso, se o valor é alto, para diversificar fica mais difícil ainda, pois o investidor teria que desembolsar valores consideráveis de recursos.

Logo, um fundo que possui recebíveis na carteira, oferece tanto acessibilidade quanto diversificação, pois uma cota sai muito mais barata e o gestor do fundo vai comprar vários CRIs, não somente um.

LCI (Letra de Crédito Imobiliário)

O LCI é um título de renda fixa que gera crédito para o mercado de imóveis, e tem como lastro créditos imobiliários, garantido por hipotecas ou por alienação fiduciária.

A LCI é garantida pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que é uma instituição privada que visa proteger os investidores do risco de crédito.

O que é um fundo de tijolo?

Já um fundo imobiliário de papel vai investir em imóveis físicos, podendo ser shopping, galpões logísticos, lajes corporativas, hospitais, etc. Esses tipos de fundo são bastante acessíveis, e também é uma ótima opção para diversificação.

Muitos investidores alocam seus recursos em fundos de tijolos para terem renda regular, visto que há a distribuição dos aluguéis.

Qual a diferença entre eles?

Bom, como observado, enquanto um fundo de papel investe em títulos relacionados ao mercado imobiliário, o fundo de tijolo investe em imóveis físicos.

Outra diferença é que, os fundos de papéis têm sua rentabilidade atrelado ao juro. O indexador mais comum dos papéis do fundo é o CDI. Já os de tijolos têm sua rentabilidade atrelada aos aluguéis dos imóveis.

Se você está pensando em investir em algum FII, considere as características de cada um e veja qual tem mais aderência ao seu perfil e objetivos.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo