Vale a pena investir em fundos de investimento?

Antes de responder essa pergunta, nós precisamos entender como funcionam os fundos imobiliários (FIIs). Antes de mais nada, precisamos entender que os FIIs são fundos de investimento. 

Ou seja, esse tipo de movimentação é feito por meio da compra de cotas de um grande patrimônio. O investidor recebe os rendimentos de acordo com o número de cotas que ele possui.

Na modalidade imobiliária, o investimento é caracterizado por uma compra de cotas de um patrimônio que possui ativos imobiliários. Por sua vez, esses papéis podem ser formados tanto por empreendimentos físicos, quanto por títulos de papel - ou, em alguns casos, ambos.

É uma categoria que é isenta de imposto de renda e tem seus rendimentos pagos mensalmente, de acordo com os ganhos do fundo. Ainda assim, como todos os fundos de investimento, possuem algumas cobranças de taxas de administração pela gestora que opera esse fundo.

Uma das grandes vantagens desse tipo de investimento é que os rendimentos não estão atrelados à taxa básica de juros. Num momento onde a Selic se encontra no menor patamar histórico de 2% ao ano, os investidores têm buscado aplicações que ofereçam um rendimento mais atrativo do que a renda fixa.

Neste sentido, os fundos de investimento são uma ótima alternativa para quem deseja receber rendimentos mensais e isentos de imposto de renda. Apesar disso, os FIIs possuem taxas de administração e performance e os ganhos vão depender do cenário do mercado imobiliário e também de uma boa gestão do fundo.

Como escolher um bom fundo imobiliário?

No mundo do investimento, é sempre delicado quando o assunto é escolha de ativos. Isso porque essa tomada de decisões deve ser feita de forma autônoma do investidor. Só ele conhece suas demandas, seus objetivos e seu potencial para investir. Ou seja, essas variáveis são muito pessoais e mudam de pessoa a pessoa.

Mesmo assim, é possível seguir algumas dicas para encontrar o melhor tipo de investimento para sua carteira:

1. Escolha uma boa gestora

Quando o assunto é dinheiro, você deve conhecer bem a empresa onde você vai alocar seu dinheiro. Ou seja, antes de tudo, é fundamental saber se o fundo de investimento que você quer comprar cotas está devidamente registrado e autorizado a operar nesse mercado.

Para isso, basta uma pesquisa rápida no site da Comissão de Valores Mobiliários (clique aqui) para saber essas informações.

Além disso, é recomendável que você pesquise sobre a reputação da gestora do fundo e quais foram os resultados que ela apresentou nos últimos trimestres.

As gestoras disponibilizam em seu site institucional uma carta explicitando as informações que os cotistas e potenciais investidores precisam saber. Esse documento é super importante, pois traz um raio-x da administração do fundo.

2. Conheça o portfólio do fundo e prefira os diversificados

Diversificação é uma das palavras mais usadas no mercado financeiro. Esse conceito aplicado nos FIIs significa que a recomendação é escolher fundos de investimento que possuem ativos diversificados.

Para isso, é fundamental que o investidor conheça quais são os empreendimentos que compõem o fundo. Quanto mais o portfólio for diversificado, melhor.

3. Estude os indicadores econômicos

Rentabilidade não deve ser o único indicador analisado quando você está escolhendo um fundo imobiliário. Na verdade, existem outros parâmetros tão importantes quanto esse e todos devem ser analisados de forma conjunta.

Número de cotas, valor total do patrimônio, taxa de administração, dividend yield, liquidez média diária: todos esses fundamentos podem ajudar na escolha de um fundo de investimento.

No Yubb, você tem acesso a todas essas informações (clique aqui). A nossa plataforma é totalmente gratuita e lá você pode comparar esses dados com todos os outros fundos disponíveis no mercado financeiro.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo