Vale a pena investir uma herança?

Não existe fórmula de investimento que sirva para todas as pessoas. Por isso, educação financeira é fundamental para entender as individualidades e necessidades de cada pessoa. Ou seja, cada perfil possui objetivos e recursos diferentes. Isso resulta em movimentações financeiras específicas para cada caso.

Ainda assim, podemos pensar na herança como um montante de capital que não é planejado para quem foi beneficiado. Afinal, a morte é um evento que não tem hora para acontecer e suas consequências não podem ser previstas.

Se você receber uma herança de algum parente ou cônjuge que faleceu, precisa saber alguns fundamentos para uma melhor tomada de decisões.

Em primeiro lugar, existem várias questões legais que envolvem tributações e questões judiciais para legalização de bens e outros recursos.

Ou seja, não é porque o seu pai morreu deixando R$ 1 milhão em conta que você, por ser o único herdeiro vivo, receberá todo esse montante. Por isso, é importante inteirar-se previamente de todos os procedimentos que antecedem que esse recurso chegue até você.

É fundamental ter calma antes de sair gastando um dinheiro que ainda não é propriamente seu. O processo de herança e divisão de bens pode ser demorado e envolve muitos custos, como cartórios, advogados e alguns documentos.

Somente depois que você souber quanto é o montante que vai receber, poderá fazer um planejamento financeiro sobre esse dinheiro, para que ele não se desvalorize com o tempo. Para isso, vamos dar algumas dicas:

1. Fuja da poupança e faça investimentos que valorizam mais que a inflação

Um dos grandes objetivos dos investimentos é fazer com que o dinheiro não se desvalorize com o tempo.

Em momentos de juros baixos, por exemplo, a poupança tem sido um péssimo negócio para quem deseja ver os seus recursos valorizando mais do que a inflação.

2. Venda o que não valer a pena

Se você herdar um imóvel que não esteja em bom estado ou em uma boa localização, provavelmente o aluguel não irá render muito dinheiro. Nesse caso, é importante que você faça as contas.

Por exemplo, um aluguel de R$ 1.500 de um apartamento de R$ 300 mil pode render anualmente R$ 18 mil. Caso aplicado o dinheiro da venda desse imóvel numa LCI prefixada a 6,5%, os ganhos poderiam ser de R$ 19.500 (valor 8% maior).

Isso sem considerarmos a liquidez que um imóvel pode ter, uma vez que a venda de um bem desse tipo pode demorar alguns meses e envolver alguns outros custos. Por isso, é fundamental que se coloque na ponta do lápis o que vale mais a pena.

3. Monte seu planejamento financeiro

Montar um planejamento financeiro é uma tarefa complexa e envolve várias questões pessoais e financeiras. De modo geral, uma organização dessas requer uma diversificação de ativos: parte em renda fixa e outra em variável.

Num primeiro momento, é fundamental investir em papéis mais seguros que possam dar mais solidez ao crescimento da carteira. Num segundo passo, é possível buscar ativos um pouco mais arriscados - como fundos multimercados, ações e BDRs.

É difícil desenvolver um esquema que sirva para todas as pessoas, mas você pode dividir sua carteira de investimentos de acordo com o seu perfil de investidor: conservador, moderado ou arrojado.

E não importa o tamanho dessa herança: seja de R$ 5 mil, R$ 50 mil ou R$ 500 mil. Em todas essas situações, existem várias possibilidades de ganhos muito bons. No mercado financeiro, basta ter conhecimento, diversificação e gestão para que os resultados comecem a aparecer.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo