Previdência privada vale a pena?

Como o próprio nome diz, a previdência privada é um meio de formar reservas para a aposentadoria que não tem ligação com o INSS. Ou seja, o investidor paga um plano mensal, que servirá para complementar a renda quando parar de trabalhar.

Em relação aos tipos de previdência privada, existe o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

Basicamente, a diferença entre os dois está na tributação. Nesse sentido, o PGBL é apropriado para quem tem imposto de renda retido na fonte e possui despesas dedutíveis. Por outro lado, no caso de autônomos ou contribuintes sem deduções, a melhor alternativa pode ser o VGBL.

Mas, quais são as vantagens e desvantagens dos planos de previdência? Vamos conhecer algumas delas:

Vantagens

Investir em previdência privada pode ser uma ótima opção para quem não tem disciplina para economizar. Isso porque o próprio investidor define o fluxo de contribuições mensais, o que facilita a sua programação.

Além disso, dependendo do tipo de plano escolhido, é possível fazer deduções do imposto de renda. Nesse caso, caso o investidor opte pelo PGBL, poderá deduzir até 12% de sua renda bruta anual declarada.

Outra vantagem da previdência privada é a flexibilidade da forma de resgate. Ou seja, ao contratar o plano, o investidor pode escolher se deseja receber o dinheiro em parcelas mensais ou todo de uma vez só no vencimento.

Por fim, esse investimento permite a portabilidade, ou seja, a transferência dos valores para outras instituições financeiras. Dessa forma, existe liberdade para trocar de instituição sem prejuízo dos rendimentos. 

Desvantagens

Por outro lado, a previdência privada também apresenta algumas desvantagens.

Uma delas são os custos. Isso porque, além da taxa de administração, existe, também, a taxa de carregamento. Essa taxa é um percentual cobrado sobre cada depósito e resgate do fundo. 

Outra desvantagem dos planos de previdência é o rendimento inferior que normalmente possuem quando comparados a alguns investimentos de renda fixa. Além disso, não possuem a proteção do fundo garantidor de crédito (FGC), comum à maioria das aplicações em renda fixa. 

Vale a pena investir em previdência privada?

Antes de investir em previdência privada, você precisa definir quais são os seus objetivos e expectativas.

Isso porque, como vimos, esses investimentos são uma boa opção para o longo prazo. Logo, se você acha que poderá precisar desses recursos antes do vencimento, é melhor avaliar alternativas mais rentáveis e de melhor liquidez.

De qualquer forma, o mais importante é buscar o máximo de informações possíveis sobre as regras e sobre os rendimentos desses planos antes de investir. Além disso, consultar profissionais da área também é uma boa forma de ajudá-lo a tomar a decisão correta. Somente assim conseguirá avaliar se, realmente, a previdência privada é o melhor investimento para você.

O que mais você gostaria de saber sobre previdência privada? Deixe aqui os seus comentários!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo