Portabilidade de investimentos: como transferir para outra instituição?

Muitos motivos levam o investidor a querer trocar de banco ou corretora. Entre os mais frequentes, estão a falta de diversificação do portfólio, atendimento inadequado e, é claro, taxas altas.

Mas, diferentemente do que muitos pensam, não é necessário resgatar as aplicações para transferi-las para outra instituição. A portabilidade de investimentos, também conhecida como transferência de custódia, permite que o investidor envie o seu dinheiro para outra instituição sem ter que pagar impostos. Para isso, basta pedir ao banco ou à corretora, que tem até 48 horas para atender à solicitação. 

Nesse artigo, conheça os passos necessários para fazer a portabilidade de investimentos. Boa leitura!

Portabilidade de investimentos: quando é possível fazer?

A transferência de custódia pode ser feita para quase todos os investimentos. Para alguns, como ações e fundos imobiliários, o processo é mais simples. No caso de títulos privados de renda fixa emitidos por bancos (CDBs, LCIs, LCAs, por exemplo) e debêntures emitidas por securitizadoras, o procedimento é um pouco mais complexo. Isso porque, antes de mudarem de instituição, esses ativos precisam ser depositados na bolsa de valores. Logo, nesses casos, a portabilidade demora um pouco mais.

Casos em que não se pode fazer a portabilidade

Só não é possível fazer a transferência de custódia em duas situações.

Uma delas é quando o investimento servir de caução para um empréstimo ou tiver algum bloqueio judicial. A outra é quando a cessionária (banco ou corretora que recebe o investimento) não tiver o mesmo produto da cedente. Se for esse o caso, antes de transferir os recursos, o investidor precisará fazer o resgate da aplicação.

Quais os passos necessários para fazer a portabilidade de investimentos

De forma geral, a portabilidade é um muito bastante simples. Basicamente, ela envolve quatro passos:

Abrir uma conta na corretora que você escolheu

O primeiro passo é abrir a conta na corretora escolhida para receber os investimentos.

Nesse momento, é preciso muita cautela, pois a grande oferta de corretoras nos últimos anos aumentou o risco de fraudes contra investidores.

Preencher a Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários

Logo após abrir a conta, o formulário de Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários (STVM) deve ser preenchido pelo investidor. Quem fornece esse documento é a própria corretora, e ele deve conter os dados pessoais e a descrição dos investimentos a serem transferidos.

Reconhecer firma

Muitas instituições ainda solicitam o reconhecimento de firma no documento. Isso visa dar mais segurança ao processo de transferência.

Solicitar a transferência das aplicações

Finalmente, depois de autenticar a STVM, basta enviá-la à instituição de origem para que ela faça a transferência dos investimentos. Como vimos, alguns investimentos podem demorar mais de 48 horas úteis para serem transferidos, mas, via de regra, o processo é rápido e sem maior complexidade.

Viu como é fácil fazer a portabilidade de investimentos? Ficou com alguma dúvida, ou gostaria de fazer alguma pergunta? Deixe aqui os seus comentários!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo