O que é uma corretora de valores?

As corretoras de valores são instituições financeiras que intermedeiam operações entre investidores e emissoras de ativos. São empresas privadas regulamentadas pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Diferente dos bancos e das financeiras, as corretoras não têm permissão legal para emitir títulos de investimento. Ou seja, sua finalidade é exclusivamente a distribuição de ativos.

No entanto, mesmo sem a possibilidade de gerar papéis, as corretoras possuem uma grande variedade de produtos disponíveis para os seus clientes. Por exemplo, são nessas empresas que é possível comprar e negociar ações da bolsa de valores – algo que as outras instituições financeiras não estão habilitadas para fazer.

Nos últimos anos houve o crescimento e surgimento de várias novas corretoras de valores no mercado. Com a maior concorrência e seguindo uma tendência global, as empresas diminuíram suas taxas e tarifas para conquistarem novos clientes.

No Brasil, por exemplo, já é possível encontrar corretagem com taxa zero.

Mas como as corretoras com taxa zero ganham dinheiro?

A taxa de corretagem é uma tarifa de responsabilidade das corretoras. Ela é usada para custear as movimentações feitas pelos clientes e outras instituições. No entanto, quando essa taxa não existe, as empresas devem procurar outras formas para captar recursos – afinal, não existe nada gratuito no mundo dos negócios.

Uma das formas que as corretoras ganham dinheiro é por meio do spread – termo que significa a diferença entre os valores de compra e venda. Isso funciona como na lógica de atacado e varejo.

Ou seja, as corretoras compram grandes lotes de CDBs dos bancos com rentabilidade 130% do CDI e revendem em porções menores com ganhos inferiores a esse valor para seus clientes.

Por isso, mesmo com tarifas zeradas, os investidores contribuem para o aumento da receita das corretoras com o pagamento dessa diferença – como que uma “taxa escondida”.

Além disso, uma vez que a corretagem é de responsabilidade das corretoras, essa tarifa pode voltar a ser cobrada no futuro.

Ou seja, no início, a estratégia de marketing é conquistar novos clientes para que no futuro volte a ser cobrada, ou então a taxa zero seja exclusiva para algum tipo de investimento. Por exemplo, os papéis do Tesouro Direto podem estar isentos dessa cobrança, mas as negociações de ações não. Por isso, é sempre muito importante pesquisar antes de investir, uma vez que essas cobranças podem prejudicar os seus rendimentos significativamente.

Quais os serviços as corretoras oferecem?

As corretoras possuem um número muito maior de possibilidades de investimento do que as outras instituições financeiras. Isso porque elas possuem a maioria dos títulos negociados nas outras empresas (CDBs, LCI, LCA, LF) e também fazem a compra e venda de diversos outros ativos (ações, fundos de investimento, debêntures, Tesouro Direto).

No Brasil, não é possível negociar ações e ativos da bolsa de valores de forma direta. Ou seja, para comprar e vender ações da bolsa, é necessário possuir conta em uma corretora de valores, pois ela é uma instituição autorizada para operar nos pregões da bolsa.

Para fazer essas atividades, são emitidas ordens de compra e venda na B3 em nome dos investidores. São as corretoras responsáveis por efetuarem as custódias das ações – isto é, quando uma ação é comprada, a custódia do título é feita por uma corretora em nome do seu cliente.

Além de todo esse cenário de diversificação de investimentos, as corretoras contam ainda com os profissionais especializados que emitem relatórios sobre investimentos e orientam os clientes. Com esse suporte, ainda que possa não ser gratuito, os investidores podem tomar melhores decisões.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo