Payout: o que é e por que é importante?

O payout é um indicador importante para quem deseja investir em ações que pagam dividendos. Quer saber como ele funciona? Então, confira esse material que preparamos para você!

O que é payout?

O payout demonstra o quanto a empresa distribui dos seus resultados aos acionistas. Ele é demonstrado em percentual, e é calculado da seguinte forma:

Payout = (dividendo total / lucro líquido) x 100

Digamos que, em um determinado ano, o payout de uma empresa tenha sido 50%. Isso significa que ela distribuiu aos acionistas a metade do lucro que gerou no ano. A outra metade ela poderá reinvestir no negócio ou, simplesmente, incorporar às reservas do patrimônio líquido.

O payout e a política de distribuição de lucros

Cada empresa tem sua própria política de distribuição de lucros. Normalmente ela é determinada no estatuto da companhia.

No entanto, se esse estatuto for omisso em relação aos dividendos, a lei determina que deve ser distribuído 50% do lucro líquido ajustado do exercício.

É importante saber que o lucro líquido ajustado não é o mesmo lucro líquido contábil. Segundo a Lei 6.404 (Lei das Sociedades Anônimas), o lucro líquido deve ser ajustado pela constituição da reserva legal e pela formação da reserva de contingências e reversão dessa reserva em exercícios anteriores.

Qual o payout ideal?

Primeiramente, é importante saber que nem todas as empresas distribuem os seus lucros. Isso quer dizer que não é uma boa investir em ações que quem não paga dividendos, certo?

De jeito nenhum! Avaliar uma ação só pelo seu histórico de distribuição de lucros é um grande erro.

Imagine o seguinte: uma empresa de tecnologia recentemente fez a sua primeira oferta pública (IPO). A sua política não prevê distribuição de dividendos, pois ela precisará de todo o seu lucro para reinvestir em novos projetos.

Porém, devido ao setor de atuação, suas ações têm um enorme potencial de valorização. Ou seja, no longo prazo, poderá valer a pena o investidor não receber dividendos em troca da valorização dos papéis.

Por outro lado, empresas que atuam em segmentos mais maduros, como infraestrutura, já não têm mais tanto como crescer. A não ser quando apareçam projetos específicos, mas, mesmo assim, o potencial de crescimento sempre será mais limitado.

Dessa forma, não faz muito sentido que essas companhias retenham os resultados. Afinal, nem sempre elas precisarão reinvestir no negócio. Por isso, normalmente, elas acabam distribuindo mais dividendos do que setores como tecnologia e e-commerce, por exemplo.

Então, o que podemos concluir sobre o payout ideal?

Basicamente, o payout ideal depende dos projetos e perspectivas de crescimento das empresas. Por isso, como dissemos no início, ele nunca deve ser o principal critério utilizado para escolher uma ação.

Tenha cuidado com payout muito elevado!

Por fim, quando você se deparar com um payout acima da média, analise bem a situação da empresa antes de ficar muito animado.

Isso porque dividendos muito atrativos podem, muitas vezes, encobrir uma frágil situação financeira. Ou seja, pode ser que a empresa esteja distribuindo lucros porque não consegue outras fontes de financiamento. Logo, isso terá um efeito desastroso no médio e longo prazo.

Por isso, deve-se analisar uma série de indicadores para escolher uma ação, e nunca um isoladamente.

Quer saber mais sobre o payout ou sobre outros indicadores financeiros? Deixe aqui os seus comentários!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo