Qual é o passo a passo para começar a investir em ações?

Investir em ações é uma excelente alternativa para rentabilizar o patrimônio, principalmente em tempos de juros baixos. Pensando nisso, preparamos 4 dicas básicas para quem quer dar os primeiros passos na bolsa com segurança. Confira!

Tenha uma reserva de emergência

Antes de mais nada, é fundamental que se tenha uma reserva de emergência antes de investir em ações. Isso porque esses ativos devem ser vistos como um investimento de longo prazo. Caso contrário, os seus rendimentos podem ser comprometidos.

Digamos que você precise sacar aplicações por causa de uma emergência. Se, nessa ocasião, o seu dinheiro estiver totalmente em ações e o mercado estiver em baixa, você poderá perder não só os lucros, mas também parte do valor aplicado.

Por isso, o primeiro passo para quem quer investir em ações é reservar uma parte do capital para urgências. Dessa forma, você evitará perdas ao fazer resgates em momentos de volatilidade, o que é bastante comum no mercado acionário.

Invista em conhecimento técnico

Outro ponto muito importante para investir em ações é buscar algum conhecimento sobre finanças e contabilidade. Afinal, existem empresas boas e ruins, e você precisa saber avaliá-las para decidir se devem, ou não, receber o seu dinheiro.

Muitos investidores não possuem formação nas áreas de finanças, economia ou contabilidade. Além disso, há, também, quem não tenha nem vontade, nem aptidão para aprender sobre o assunto. Se esse for o seu caso, você deve buscar uma assessoria especializada que lhe ajude a investir com segurança.

Mantenha-se atualizado

Quem deseja investir em ações deve se manter atualizado sobre a economia mundial e, também, sobre as empresas listadas na bolsa.

O motivo é simples: mesmo que você tenha escolhido ações de excelentes empresas, fatores como crises econômicas e políticas podem afetar o seu desempenho. E, nesse sentido, economias mais frágeis, como a brasileira, sofrem mais com instabilidades do mercado.

Logo, mesmo que você tenha a orientação de especialistas, é importante que esteja sempre bem informado. Assim, poderá minimizar surpresas desagradáveis e realocar suas aplicações em outros investimentos, antes de perder dinheiro com as baixas do mercado.

Diversifique!

Por fim, para diluir os riscos de uma carteira de ações, a diversificação é fundamental. Entretanto, é importante saber que diversificar não é, simplesmente, comprar ações de empresas diferentes, mas sim de segmentos diversos.

Por exemplo, ao comprar papéis de 5 diferentes construtoras, você não está diversificando o risco. Isso porque, se houver alguma crise no setor imobiliário, todo o seu portfólio perderá valor.

Nesse sentido, há boas dicas para quem está iniciando escolher os setores nos quais irá aplicar.

Uma delas é adquirir, simultaneamente, papéis de empresas exportadoras e de outras que atuam somente no mercado local. Isso porque, normalmente, quando o dólar sobe, o mercado nacional tende a perder valor, e vice-versa. Desse modo, o investidor pode reduzir os efeitos da oscilação cambial no seu patrimônio.

Outra dica é, ao menos no início, evitar segmentos mais suscetíveis a crises. Empresas de turismo, hotelaria e entretenimento, por exemplo, sofreram bastante com a pandemia.

Por outro lado, setores mais previsíveis como saneamento e transmissão de energia, conseguem se manter mais estáveis mesmo em momentos de crises.

Essas foram algumas dicas básicas para os primeiros passos no mercado acionário. Se você tem dúvidas ou quer nos perguntar algo, mande para a gente!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo