Passivos/Ativos: entenda esse indicador

O indicador de “Passivos/Ativos” representa a divisão entre os valores totais dos passivos pelos ativos circulantes e não circulantes. Assim como todos os índices fundamentalistas, esse não pode ser um parâmetro para ser analisado de maneira isolada.

O cálculo para esse indicador é bem simples: é a divisão entre os passivos sobre os ativos. Isso significa que se o primeiro número for maior do que o segundo, esse número será sempre menor que um.

Na prática, uma empresa que possui mais ativos do que passivos, pode significar que o balanço financeiro dessa instituição está positivo. Isso porque os primeiros representam tudo aquilo que ela pode transformar em dinheiro no curto ou longo prazo, enquanto os passivos são todas as obrigações a serem pagas nesses mesmos períodos.

Ou seja, se o número de passivos for maior do que o de ativos, o valor entre a divisão entre eles será maior que um. Isso pode significar que a empresa esteja mais comprometida financeiramente.

No entanto, essas considerações não podem ser conclusivas, pois pode acontecer da empresa estar usando de financiamentos e outros recursos para alavancar seu crescimento.

As dívidas não são encaradas sempre como uma desvantagem - a não ser que elas sejam muito desproporcionais e tamanho descontrole atrapalhe outros quesitos, como o investimento em novas oportunidades de negócio.

O que são ativos?

O termo é usado para representar bens,créditos, direitos e outros valores relacionados que integram o patrimônio de alguém ou uma instituição.

Na contabilidade, a expressão é usada em balanços patrimoniais para expressar os valores que compõem os registros de uma empresa. Neste documento, dentre as possibilidades, existem dois tipos principais: ativo não circulante e ativo circulante.

Ativos circulantes

De modo geral, esses ativos são aqueles que podem ser convertidos em dinheiro num curto período de tempo (até 12 meses).

Exemplos: Dinheiro em caixa, conta bancária em movimento, contas a receber, aplicações, estoques, depósitos, mercadorias, insumos e outros títulos

Ativos não circulantes

Diferente do outro grupo, os ativos não circulantes são aqueles que só podem ser convertidos em capital num período maior que um ano, ou seja, no longo prazo.

Exemplos: títulos em renda fixa com vencimento maior que 12 meses, despesas antecipadas a longo prazo, imóveis, máquinas e veículos, patentes, direitos autorais.

Até 2008, o termo “ativos não circulantes” era chamado de “ativo permanente”. A mudança aconteceu por uma lei que estabeleceu novas normas para contabilidade no Brasil (Lei 11.941/09).

O que são passivos?

De forma resumida, os passivos representam todas as obrigações financeiras que uma instituição deve pagar. Assim como os ativos, esse termo se possui duas categorias principais:

Passivos circulantes

Neste grupo estão todas as obrigações a serem pagas no prazo de até um ano.

Exemplos: contas a pagar, impostos, empréstimos de até doze meses, obrigações salariais, fornecedores.

Passivos não circulantes

De forma oposta ao primeiro grupo, os passivos não circulantes são aquelas despesas que compõem o longo prazo.

Exemplos: financiamentos a longo prazo, debêntures a serem pagas, planos de saúde e pensão, arrendamentos diversos.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo