Compliance: o que é e qual sua importância?

Cada vez mais pessoas buscam por empresas que possuem boa governança corporativa, transparência, ética. E quando digo pessoas, me refiro aos clientes, colaboradores, investidores.

Compliance vai tratar de construção de uma cultura empresarial ética, por isso ele deve estar totalmente relacionado ao negócio central da organização. O objetivo é engajar todos os colaboradores nessa cultura.

Essa construção ética e engajamento da empresa, faz com que o time como um todo busque pelos mesmos objetivos, tendo como embasamento, a ética.

Mas, o que é compliance?

A palavra em si, ou seja, compliance, vem do verbo em inglês “to comply”, que significa agir de acordo com uma ordem, pedido ou conjunto de regras.

No ambiente corporativo, a atribuição está relacionada com a integridade, conformidade. Isso significa que, diante de uma série de regras e condutas dadas pela empresa, deve haver um alinhamento para sejam cumpridas.

Com essas definições apresentadas até agora, talvez você, automaticamente, relacione o compliance com prevenção de corrupção. Isso está certo, mas as medidas não se resumem somente ao ato de corrupção, podendo envolver, também, obrigações trabalhistas, fiscais, regulatórias, entre outras.

Você se lembra do caso da Vale, em Brumadinho? Usando o fato ocorrido como exemplo, podemos observar a ausência de compliance ambiental. Com isso, fica claro que o compliance tem uma abordagem bastante holística, não se resumindo somente à corrupção.

De forma sucinta: compliance é um conjunto de medidas e procedimentos que tem como finalidade evitar, identificar e responder aos possíveis problemas de desvio entre as normas estabelecidas e a prática e a conduta da organização.

O comportamento ético está entre as maiores preocupações de uma empresa, independente de seu tamanho, pois ela sabe que, acontecimentos negativos podem se transformar em uma bomba, afastando ou até destruindo relações positivas com o mercado.

As responsabilidades de evitar, identificar e responder às irregularidades, fraudes e corrupção não são fáceis, pois as medidas necessitam garantir:

  • Comprometimento da alta direção;
  • Criação de códigos de conduta e procedimentos;
  • Treinamento dos funcionários;
  • Mudanças de estratégicas de comunicação e controles internos;
  • Desenvolvimentos de novas avaliações e gestão de riscos;
  • Criação de canais de denúncias, monitoramento contínuo.

No passado, as funções de compliance estavam muito ligadas ao departamento jurídico, mas novas áreas foram criadas para abordar o tema e, por vezes, são separadas e independentes da área jurídica.

Qual a importância do Compliance?

Engana-se quem pensa que somente grandes empresas adotam compliance. Na verdade, as condutas morais e éticas são muito valorizadas pelas pessoas, independente do tamanho da empresa.

O compliance, mesmo que tenha em si uma essência estratégica da empresa, ela reflete positivamente todos os agentes, seja direto ou indiretamente. 

E hoje em dia, devido à abordagem e construção de boas condutas serem cada vez maiores, as pessoas estão transformando suas visões e condutas sobre uma série de coisas, portanto, devemos voltar nossos olhos aos grupos que, em sua essência, possuem a premissa de fazerem o que é certo. Isso trará uma pressão cada vez maior, o que é bastante favorável.

As empresas que adotam boas práticas estão muito à frente daquelas que não se preocupam. O mercado está cada vez mais exigente, portanto, estarão fadados ao insucesso aqueles que não adotarem as melhores práticas às corporações de forma estrutural.

Yubber, você já sabia o quão importante é o compliance?

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo