À prova de fogo

Momento decisivo para criptomoedas

evento online e gratuito 4 a 7 de Julho às 19h

Inscreva-se

Ações ordinárias: vale a pena investir?

Ações ordinárias (ON) são ativos que dão direito ao voto do investidor nas assembleias da empresa. São destinadas para aqueles que buscam ter influência nas decisões da companhia. No entanto, dificilmente acionistas minoritários conseguem ter voz nas reuniões.

Esse tipo de ação é geralmente negociado com final 3. Em comparação às ações preferenciais (PN), as ON possuem um pouco menos de liquidez na hora da venda. Além desses dois tipos, existem também as “units” que são conjuntos de ações negociados com ambas modalidades (ordinárias + preferenciais).

Apesar dessa principal característica de voto, existem algumas empresas que negociam ações preferenciais com participação nas assembleias. Ou seja, é muito importante analisar  estatuto da empresa, pois as políticas administrativas podem fugir às regras.

Qual a diferença entre Ação Ordinária, Ação Preferencial e Unit?

A ação ordinária tem sempre direito a voto, algo que a Preferencial geralmente não possui. No entanto, esse segundo tipo tem prioridade nos ganhos de dividendos ou recebimento de valor em caso de falência.

E como já dissemos, as ações Unit são um conjunto entre as duas primeiras. Em termos de liquidez, as mais negociáveis são as Unit – embora o número de ações desse tipo seja menor que os outros.

Outra particularidade é que as ações ordinárias possuem um mecanismo de proteção aos minoritários caso a empresa mude de dono: o chamado “tag along”.

O que é tag along?

Tag along é um dispositivo legal criado em 2001 para proteger os acionistas minoritários de uma empresa se, por acaso, parte das ações seja adquirida por alguém.

Previsto em um artigo da Lei das Sociedades Anônimas, o regulamento exige que os compradores façam uma oferta para aquisição das ações ordinárias com preço mínimo de 80% do valor pago por elas.

As ações preferenciais que não possuem direito a voto não possuem essa garantia. Além disso, o valor estipulado pode ser ainda maior que 80% em algumas empresas, chegando a 100% do valor pago.

Por isso, é importante checar o estatuto de cada entidade para que seja entendido como esses valores são pagos.

Ações ordinárias são uma tendência global

Antes de ingressar na bolsa de valores e na lista do Novo Mercado, as empresas passam por um número rigoroso de relatórios sobre seu valor de mercado e capacidade produtiva. Além disso, uma das regras para entrada na lista é a oferta exclusiva de ações ordinárias aos seus investidores.

Isso porque há uma tendência de ações ordinárias sobre as preferenciais. Ou seja, as empresas estão preferindo oferecer ativos com mais poder de decisão para os acionistas. Ainda assim os valores das ações são muito parecidos.

Vale a pena investir em ação ordinária?

Para o pequeno investidor, pouco importa se uma ação possui ou não direito a voto. Isso porque, para ter alguma voz dentro das assembleias, ele precisará adquirir muitas ações dentro de uma mesma empresa. E se conseguir adquiri-las é porque ele não é um pequeno investidor.

Ou seja, na hora da compra, é preciso analisar os custos dos ativos e a possível valorização que ele possa ter – independente de voto ou não. Para isso, as preferenciais possuem as vantagens de terem os ganhos dos dividendos.

No entanto, não significa que uma ação ordinária não possua participação dos lucros da empresa. Pelo contrário, o investidor ordinarista pode receber dividendos, no entanto, não terá preferência e seu valor poderá ser menor.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo