Tipos de BDRs: qual é a diferença entre eles?

Basicamente, os BDRs podem ser patrocinados ou não pelas empresas emissoras dos valores mobiliários do recibo. A diferença estará nas características de divulgação de informações, distribuição e negociação.

É chamado de patrocinado um BDR quando essa operação é intermediada por uma instituição depositária no Brasil. Nessa mesma lógica, o outro tipo de recibo não recebe o patrocínio da companhia internacional para emissão do papel.

1. BDR não patrocinado nível 1

Esses representam a maior parte dos recibos negociados na B3 atualmente. Neste caso, a própria instituição depositária é quem emite os certificados, sem qualquer envolvimento da companhia estrangeira.

2. BDR patrocinado nível 1

Neste caso, é dispensado o registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os recibos devem ser negociados em mercados de balcão não organizado ou em outros segmentos da bolsa destinados para isso.

Caso o programa seja oferecido publicamente, recomenda-se que a compra seja feita por no máximo 50 investidores. Por conta disso, só investidores qualificados podem comprar esse recibo.

Diferente dos outros níveis a seguir, neste modelo é obrigatória a divulgação de informações pertinentes ao investidor que sejam publicizadas no país de origem (sem a necessidade, no entanto, de tradução ou conversão de moedas).

3. BDR patrocinado nível 2 e nível 3

Os recibos desses dois níveis são muito parecidos e só se diferenciam quanto à oferta pública para negociação. Enquanto o nível 2 pode ser distribuído por oferta pública com esforços restritos, o nível 3 deve ser realizado necessariamente por uma oferta pública, inclusive com uma ampla participação.

Dentre as características semelhantes, ambos os níveis precisam do registro na CVM pela emissora das ações. Além disso, podem ser negociados livremente na bolsa ou em balcões organizados. Para transparência e divulgação de informações, as empresas são regulamentadas pela CVM.

Código de negociação dos BDRs

Basicamente, as quatro letras iniciais representam os nomes das companhias e o código final o tipo de recibo oferecido.

  • BDR não Patrocinado: final 34 ou 35 (Exemplo:AAPL34 ou GOGL35)
  • BDR Patrocinado Nível I: final YY
  • BDR Patrocinado Nível II: final 32 
  • BDR Patrocinado Nível III: final 33 

O que são BDRs?

A sigla significa “Brazilian Depositary Receipt” e representa os certificados de depósito de valores mobiliários de companhias estrangeiras. Na prática, é uma das formas que o investidor brasileiro possui para investir em ações de empresas do exterior.

Nessa modalidade, o investimento não é feito diretamente na companhia e sim por meio de papel emitido por uma outra instituição - tudo de forma regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os BDRs devem conter algum tipo de lastro e essa característica é quem define os diferentes tipos de recibos. Esse lastro pode ser em ações negociadas no exterior emitidas por emissores estrangeiros; títulos representativos de dívida negociados no exterior e emitidos por emissores estrangeiros ou por companhias abertas brasileiras com registro na CVM; ou, ainda, cotas de fundos de índice (ETFs) negociados no exterior.

Com essa modalidade de investimento, é possível negociar BDRs lastreados em ações de importantes companhias internacionais como Alibaba, Alphabet (Google), Amazon, Apple, Microsoft e Tesla.

Como funciona a venda de BDR?

A emissão dos recibos é feita por uma instituição depositária no Brasil. Ela é a responsável por garantir o lastro nos valores negociados no exterior, conforme o saldo existente entre a companhia internacional e essa depositária.

Por conta disso, essa empresa no Brasil deve manter os ativos financeiros que servirão de lastro em uma conta em seu nome numa outra instituição de custódia no exterior - onde os valores permanecerão bloqueados enquanto o BDR durar.

Ou seja, esse programa de oferta de BDR é altamente organizado e envolve diversas instituições financeiras - e não somente o investidor e a empresa internacional. Entender como funciona esse processo é importante para garantir segurança para quem deseja investir em BDRs.

A grande vantagem é que ao negociar um BDR, o investidor não precisa se preocupar com taxas relativas às transferências de recursos para o exterior. Isso porque os recibos são cotados em reais e sem a necessidade de abrir conta em corretora estrangeira, pois eles estão lastreados numa instituição cadastrada no Brasil.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo