Como funcionam os serviços de câmbio

Os serviços de câmbio são indispensáveis para comprar moedas estrangeiras, enviar ou receber dinheiro de outro país. Além disso, eles também estão presentes nas negociações comerciais de muitas empresas.

Quer saber mais sobre esses serviços? Então, veja o material que preparamos!

Para que servem e quem pode oferecer serviços de câmbio?

Como vimos, para viajar ao exterior ou movimentar dinheiro entre países, é necessário utilizar algum serviço de câmbio. Além disso, quem vende para o exterior, ou precisa importar, também necessita desses serviços

No entanto, esses serviços só podem ser oferecidos por instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central (Bacen). Dessa forma, o tomador dos serviços pode ter certeza de que as operações estarão em conformidade com a legislação.

Vejamos, agora, alguns tipos de serviços de câmbio mais conhecidos:

Remessas de recursos

Como o nome diz, as remessas de recursos são utilizadas para envios e recebimentos em moedas estrangeiras. 

Frequentemente, brasileiros que trabalham no exterior precisam enviar dinheiro para o país. Da mesma forma, o estudante de intercâmbio também necessitará de recursos de seus familiares enquanto estiver fora. 

É nesses momentos que se utilizam as remessas de recursos. 

Para isso, é preciso que o beneficiário dos recursos tenha conta em um banco. Além disso, são necessários os dados de quem fará o resgate e, também, o swift da operação, ou seja, o código do banco de destino do dinheiro.

É importante saber que essa operação tem custo. Nesse sentido, tanto o banco de origem quanto o de destino dos recursos cobrarão tarifa pelo serviço. 

Câmbio Pronto

No câmbio pronto, a compra ou venda de moeda estrangeira é feita à vista. Nesse caso, a liquidação da operação ocorre em até 2 dias úteis, a partir da sua contratação.

Essa operação é destinada tanto a pessoas físicas quanto empresas. 

Câmbio a Termo

No caso do câmbio a termo, a compra ou venda de moeda é realizada para liquidação em datas futuras. 

Essa modalidade pode ser utilizada quando há uma dívida em moeda estrangeira para pagamento no futuro. Nesse sentido, ao fechar um câmbio a termo, o devedor fica protegido da disparada da moeda, o que encareceria o compromisso.

Perguntas frequentes nas operações de câmbio

Qual a diferença entre dólar comercial e turismo?

Certamente, essa é uma das dúvidas mais frequentes.

O dólar comercial refere-se à compra e venda de mercadorias e serviços entre as empresas. Já o turismo reflete a cotação da moeda norte-americana nas viagens ou produtos e serviços estrangeiros. 

Tanto em uma quanto em outra modalidade, a cotação do dólar depende da oferta e da demanda. Ou seja, quanto mais procura tiver o dólar no mercado, mais caro ele será, e vice-versa. 

Em relação ao dólar turismo, o volume movimentado costuma ser menor do que o comercial. Por isso, ele é sempre mais caro. 

Além disso, custos como IOF e outros referentes a transações internacionais também fazem com que o preço do dólar turismo seja maior do que o comercial.

Como funciona a cotação das moedas?

Além da taxa de conversão da moeda, existem outros custos nas cotações. Alguns exemplos são as taxas relacionadas à movimentação do dólar e a margem de lucro (spread) das empresas que prestam esses serviços.

Preciso enviar dinheiro ao exterior. Qual o câmbio utilizado?

Nesse caso, é utilizado o câmbio comercial, e quem informa a taxa para todas as empresas que mandam dinheiro para fora é o Banco Central. Como vimos, a variação dos preços da moeda dependerá dos custos adicionais de cada instituição.

Quer saber mais sobre câmbio? Deixe aqui suas perguntas ou sugestões!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo