O que é taxa DI e qual seu impacto na economia?

Antes de falarmos sobre a importância dessa taxa, é preciso que você entenda, primeiro, o que é CDI.

Basicamente, os bancos, no fechamento do dia, têm a obrigação de terem os seus saldos zerados. Isso significa que seus caixas não podem ser negativos. Então, para que atendam essa regra do Banco Central, empréstimos de curtíssimo prazo são feitos entre eles mesmos (bancos) por meio de títulos chamados CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Portanto, aquele banco que está superavitário (saldo positivo), vai emprestar dinheiro para o banco que está deficitário (saldo negativo). Então, é através do CDI que nasce a famosa e importante taxa DI.

Ela vai ser calculada e divulgada diariamente pela Cetip (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados) e, esse cálculo nada mais é do que a média ponderada das operações de CDI.

O que é a taxa DI?

Você já entendeu que a taxa DI nasce através de empréstimos que os bancos executam entre eles, certo? Mas é importante dizer que ela é muito mais que isso. Nós estamos falando de uma das taxas mais importantes do mercado de renda fixa, além de ser um dos principais benchmarks.

É interessante dizer que a DI sempre estará próxima da Selic, que é a taxa básica de juros de nossa economia, definida pelo Copom (Comitê de Política Monetária).

Isso se deve pelo fato dos bancos usarem a taxa Selic como referência para definir os juros que são aplicados nos empréstimos realizados entre eles, ou seja, o CDI. Assim sendo, sempre que a Selic subir ou cair, a DI, por ter forte correlação, vai acompanhá-la.

Apenas a título de curiosidade, o mercado às vezes se refere à DI como CDI, ou seja, a chama de taxa CDI. Logo, se você encontrar a informação dessa forma, não precisa ficar confuso, é apenas uma forma do mercado tratá-la, mas didaticamente falando: taxa é DI; título de empréstimo entre bancos é CDI.

Qual o impacto da DI em nossa economia?

Por ser o principal indexador do mercado de renda fixa, ela é utilizada para diferentes propósitos.

Nos investimentos em renda fixa

A maior parte dos investimentos de renda fixa pós fixados, negociados no mercado, tem como indexador a taxa DI. Então é bastante comum você encontrar investimentos pagando a variação dela. Exemplo:

Imagine que você está interessado em um CDB que paga 100% do DI. Isso significa que se o DI fechar o ano em 8%, então esse CDB vai pagar 8%. Se o DI fechar em 5%, esse CDB vai pagar 5%.

Existem outras taxas também, para mais ou para menos, podendo encontrar, então, investimentos oferecendo 90%, 105%, etc, do DI.

Mas não é só CDB, a maioria dos investimentos no mercado de renda fixa utiliza a DI como indexador, por exemplo: LCI, LCA, LC, Fundos de Renda Fixa.

Nos projetos

A taxa DI também é utilizada em diversos projetos e investimentos como taxa livre de risco, que diz respeito àquela alternativa que o investidor poderia obter de retorno, caso optasse por investir em um ativo de menor risco.

Alguns usam a taxa Selic para essa medida, mas a DI também é utilizada pelo fato de acompanhar a Selic. Vamos para um exemplo:

Imagine que você está com um projeto de abrir um negócio e, ao realizar os cálculos, verificou que seu retorno será de 8% ao ano. Suponhamos que a DI esteja em 7% ao ano. Você concorda que, se fizermos uma análise fria, não vale a pena abrir o seu negócio? Porque você vai correr muito mais risco nele do que se investisse em algum título que remunera a DI, pois o risco é mínimo. Essa diferença de 1% a mais que o seu negócio possivelmente ofereceria não é substancial.

Como benchmark

A DI também é utilizada como referência na hora de apurar os retornos obtidos nos investimentos e até para traçar estratégias com o objetivo de superar ou acompanhar a taxa.

Veja bem, se você chegar em mim e dizer “Ah, meus investimentos tiveram um desempenho muito bom, obtive um retorno de 7% ao ano”, logo em seguida eu vou te perguntar: qual a sua referência para dizer que os seus investimentos foram satisfatórios?

Estou falando isso a você porque pode ser que a DI tenha fechado o ano em 11%, logo, eu posso considerar que o desempenho foi satisfatório? Bom, olhando para a taxa DI, não. E o contrário é verdadeiro. Se a DI fechou em 8% ao ano, e você conseguiu um desempenho de 14%, eu vou dizer que o resultado foi bastante satisfatório, quando comparado à DI.

Entendeu como ela é importante para nossa economia? Seja na economia real ou no mercado financeiro, ela tem um peso muito grande na hora de fazer análises e tomar decisões.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo