Bailout: entenda o que é e como funciona

Segundo o Cambridge Dictionary, bailout significa: resgate; ou melhor, o ato de ajudar uma pessoa ou organização que está em dificuldade, geralmente dando, ou emprestando dinheiro.

Esse termo pode ser melhor compreendido no mercado financeiro, como injeção de liquidez ou socorro financeiro. Se essa era sua dúvida, pode parar por aqui, mas se você quer saber mais coisas importantes sobre esse tema e sanar essa fome de aprender que nós sabemos que você tem, fica de olho nesse material que preparamos para você!

Socorro financeiro - como funciona

Imagine que uma importante instituição financeira virá a falência, podendo traduzir a sérios danos para o mercado. O que pode ser feito a fim de evitar uma crise? Recorrer a um Bailout é uma resposta viável.

Esse termo refere-se a uma ajuda financeira, vinda do governo ou de um consórcio, para evitar a possível falência de uma empresa.

Quem pode receber esse socorro? Empresas e governos, e essa injeção de liquidez pode vir de diversas formas, as mais comuns são: 

  1. Empréstimos à empresa ou ao país que necessita ser resgatado - o capital concedido deve ser devolvido;
  2. Adquirindo ações ou comprando outros ativos da empresa que está falindo;
  3. Injeção direta de dinheiro - nesse caso, o capital pode ou não ser devolvido, dependendo dos termos do acordo.

É interessante analisarmos os casos em que Bailouts são de interesse para não desfalcar a economia, como em indústrias e empresas, que, porventura podem chegar a falência, e dessa forma trazer impactos na economia de um país ou região, resultando em prejuízos de ampla magnitude. Esses podem ser:

  • Financeiros: quando não há mais a possibilidade de arcar com as obrigações - o que pode vir a causar uma desestruturação na economia;
  • Mão de obra qualificada e capacitada - grande número de profissionais sem local para realocação no mercado, gerando desemprego e desperdício profissional de boa qualidade.

Como é estabelecido um Bailout?

Inicialmente, analisa-se as questões comentadas anteriormente, relacionadas ao prejuízo que, caso a empresa pare de funcionar serão dados. Depois, estuda-se a condição dessa empresa para que tipo de socorro financeiro ela precisa, quais serão as condições de acordo, se haverá cobrança de juros ou não, entre outras coisas.

O estado financeiro da empresa influencia de forma significativa para estabelecer de que maneira será concedida a ajuda financeira.

Críticas ao Bailout

Uma das maiores críticas relacionadas ao Bailout é da intervenção, por meio de empréstimos, do Governo na economia - visto como prejudicial por economistas com viés mais liberal.

De forma que os empréstimos vindos do Governo saem de arrecadação de impostos, a primeira crítica direciona esse uso do dinheiro de maneira errada, já que poderia ser utilizado em benefício da sociedade (saúde, educação, infraestrutura).

Não há garantia de resultado. O Bailout pode se prolongar até que a empresa se recupere, e ainda pode acontecer dela não se recuperar. Dessa forma, não há como recuperar o capital empregado.

Pode ser criado um incentivo que faça com que as empresas não se cuidem da forma devida, pois sabem que em horas de aperto podem contar com empréstimos, ou até sobre as decisões do Governo em selecionar quais empresas merecem um Bailout, podendo ser enviesadas por interesses políticos, e não pelo interesse de preservar a economia.

Para entender melhor - casos de Bailout no Brasil e no mundo

Aconteceu no Brasil uma década antes da Crise de 2008. O motivo foi a descapitalização da economia brasileira, como efeito da Crise Asiática de 1997. O Governo americano liberou a captação de US$ 42 bilhões para ajudar a estabilizar a economia brasileira.

Em 2008, os EUA sancionaram uma lei com o Ato de Estabilização Econômica de Emergência, criando um fundo de US$ 700 bilhões para comprar ativos de empresas que precisassem de socorro financeiro, evitando que elas falissem.

Outro caso que merece destaque é com a Grécia, um dos países com a economia mais debilitada, recebeu vários Bailouts da União Europeia, chegando a cerca de US$ 350 bilhões.

Em suma, Bailout baseia em uma forma de tentativa para assegurar a saúde econômica a fim de evitar a falência, o que, pode resultar em prejuízos, não só para quem vem a falência, mas também para outros setores que são atingidos. Podemos relacionar o termo a: empréstimo para uma segurança econômica. 

Que tal, Yubber, curtiu esse conceito? Aqui temos muitos assuntos para você agregar aos seus conhecimentos. Aprecie sem moderação!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo