Preço spot: o que é e como funciona?

O preço spot é um mecanismo de precificação do produto que leva em consideração o preço atual de um ativo. Por conta disso, esse procedimento é feito somente em transações que efetuam o pagamento à vista e com entrega imediata. Normalmente, essas operações envolvem mercadorias e commodities.

Essa categoria é diferente da precificação futura - que é a mais comum usada no mercado desses bens. Nesse tipo, o preço futuro deve levar em consideração diversos outros fatores, como câmbio, armazenamento, riscos do setor e outros.

No preço spot, os parâmetros que definem os valores estão mais ligados ao momento da transação e à logística de entrega que os operadores terão. Assim como as ações, o preço spot também varia bastante e é atualizado constantemente.

Confira abaixo algumas categorias de ativos que podem ser negociados tanto com preço spot quanto por preço futuro:

  • Agrícolas: cana-de-açúcar, café, soja.
  • Minerais: petróleo, gás e ferro.
  • Ambientais: água, energia elétrica
  • Financeiras: moedas em geral, como o dólar, euro ou real

O mercado spot é o fluxo de negociação criado quando os investidores fazem transações desse tipo. Nesse ambiente, os compradores fazem pagamentos imediatos e os vendedores devem ter uma logística própria para entrega desses produtos ou valores. A velocidade dessa operação é muito mais ágil do que a que acontece no mercado futuro.

Qual a diferença entre mercado spot e mercado futuro?

O mercado futuro e mercado spot se diferenciam pelo parâmetro que esses ambientes usam para precificar os ativos. No primeiro, os valores são referentes à data atual da transação, que envolve o pagamento à vista e entrega imediata.

Ou seja, a grande vantagem para o comprador é que ele recebe o produto logo após que ele faz o pagamento. Nessa mesma lógica, o vendedor também pega o seu dinheiro no momento que a transação acontece.

Já no segundo tipo, a negociação é feita de acordo com um preço futuro acertado previamente. A entrega e pagamento não acontecem necessariamente no momento que essa operação é realizada.

No mercado futuro, a proteção é o que importa, pois os preços são combinados previamente e não sofrem tanto com as oscilações do mercado. Se na data da entrega, o preço tiver caído ou subido expressivamente, os compradores e vendedores não terão prejuízos.

Por exemplo, um produtor que exporta cana-de-açúcar tem seus ganhos atrelados à (des)valorização da commodity e do dólar. Ou seja, para se proteger das grandes variações, ele faz contratos futuros em valores que podem prever o comportamento desses parâmetros.

Com isso, tanto os compradores quanto os vendedores ficam protegidos de alguma grande oscilação que o mercado financeiro possa ter. Por isso, a negociação pode ser feita antes mesmo da entrega do produto. É uma venda antecipada para uma data futura.

Independente do mercado que o comprador queira operar, é fundamental que ele faça uma pesquisa de preço entre essas duas modalidades. Além disso, é preciso entender como funciona a logística de entrega e pagamento de cada uma.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo