Como ser sócio de uma grande empresa?

Tornar-se sócio de uma grande empresa é muito mais fácil e mais barato do que a maioria das pessoas pensa. Se a companhia for do tipo capital aberto, é possível comprar ativos que representam uma parcela da instituição. O mercado acionário nada mais é do que isso.

E quanto mais ações o investidor tiver dentro de uma empresa, mais poder de decisão ele vai ter. Mas o que é ação? Ação é a menor parcela do capital social de uma companhia. Para negociar um ativo desse tipo, não é preciso muito dinheiro.

Na data que escrevemos esse artigo, a ação mais barata na bolsa de valores brasileira valia R$ 0,63. Isso significa que se o investidor operar numa corretora que tem custo zero de corretagem, ele pode se tornar sócio minoritário dessa empresa com menos de R$ 1,00.

Mas se a intenção do investidor é ser um sócio majoritário dessa mesma empresa, ele vai precisar desembolsar o valor referente à maior parte do número total de ativos que a instituição possuir. Neste exemplo em específico, um valor maior que R$ 55 milhões. Ou seja, uma movimentação dessas não é para qualquer um.

Qual a diferença entre sócio minoritário e majoritário?

O que distingue esses dois tipos de sócio é a quantidade de ativos que cada um deles possui de determinada empresa. Obviamente, o majoritário possui o maior número de ações e, consequentemente, tem mais poder de decisão nas deliberações.

O minoritário é aquele que possui menor representação, mas também possui direitos dentro da instituição. Geralmente, as minúcias que diferem esses dois grupos são acertadas no estatuto social das companhias.

É claro que a simples posse de ações não significa que você se sentará na mesa administradora da empresa e terá poder de decisão nas assembleias. Isso porque nem todos os ativos dão direito ao voto - neste caso, geralmente, somente as ações ordinárias possibilitam essa participação.

Ainda assim, para que algum investidor tenha voz nessas deliberações, são necessários muitos ativos em seu nome. Isso não significa que você não tem direitos na empresa. Os dividendos, por exemplo, são pagos a todos os acionistas: minoritários e majoritários.

Esse pagamento é feito de acordo com o lucro obtido pela companhia. Nem todas as instituições fazem esse tipo de ordenamento, mas esses recursos são uma ótima entrada de capital, pois eles não possuem cobrança de imposto de renda, uma vez que as empresas já fazem o recolhimento antes do pagamento.

Mas escolher uma ação não é algo tão simples. Vários fatores devem interferir na tomada de decisão para compra de um ativo dessa natureza. Ou seja, o preço não deve ser analisado de maneira isolada e sim como parte de um quebra-cabeças que aponta o melhor caminho para determinado investidor.

Essa escolha é individual, pois deve respeitar as necessidades, os objetivos e capacidades de cada pessoa. O que é bom para um investidor por não ser para outro e vice-versa. Para ajudar nesse processo, existem vários indicadores econômicos importantes que devem ser levados em consideração: Preço/Lucro (P/L), ROE, ROIC, Patrimônio Líquido e outros.

Todos esses fundamentos devem ser observados de maneira conjunta, para que o investidor tome melhor suas decisões. Na nossa plataforma do Yubb, você tem acesso a todas essas informações de todos os ativos listados na B3. Se você não conhece, nossa plataforma é totalmente gratuita e ajuda você a encontrar o melhor investimento para seu perfil.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo