Como diversificar a sua carteira de ações

Com a queda dos juros, investir em ações ficou ainda mais atrativo em termos de possibilidades de ganhos. Porém, para que uma carteira tenha sucesso, é fundamental uma boa diversificação.

Pensando nisso, elaboramos 4 dicas para lhe ajudar a diversificar sua carteira de ações com segurança e eficiência!

1. Defina como você deseja receber os rendimentos

Antes de escolher as ações, você precisa definir o fluxo de recebimentos que deseja ter com os rendimentos. Afinal, para que um investimento valha a pena, ele precisa estar alinhado com o seu planejamento financeiro, certo?

Nesse sentido, investir em ações permite que você lucre de duas formas. Uma delas é com a valorização dos papéis. A outra é pelo pagamento de dividendos.

Para relembrar, os dividendos são a parcela dos lucros de uma empresa distribuídos entre os acionistas. No entanto, nem todas as ações são pagadoras de dividendos. Isso porque algumas empresas acham mais vantajoso reinvestir os lucros no negócio, ao passo que outras preferem distribuí-los aos acionistas.

Dessa forma, antes de adquirir uma ação, você precisa saber qual a sua política de dividendos. No entanto, é importante não escolher a ação somente pelo potencial de distribuição de lucros. Para selecionar a carteira, vários outros fatores devem ser considerados, como a saúde financeira da empresa e o seu mercado de atuação.

2. Analise bem as ações

Nesse sentido, existem duas principais formas de análise: 

Análise Técnica 

Essa técnica utiliza gráficos para identificar o movimento das ações e estabelecer tendências de valores. Isso porque, segundo essa análise, existe um padrão no movimento dos preços que se repete ao longo dos anos. 

Por causa da ênfase no movimento dos preços, a análise técnica é mais utilizada no curto prazo. 

Análise Fundamentalista 

Por sua vez, essa análise prioriza os fundamentos da empresa. Ou seja, ela leva em consideração as demonstrações financeiras, a governança, o setor de atuação, entre outros aspectos.

Como o foco da análise fundamentalista é o histórico da companhia, ela é mais utilizada no longo prazo. 

3. Diversifique os setores

Agora que você já definiu como deseja receber seus rendimentos e, também, já sabe como analisar as ações, é hora de escolher em que setores irá investir.

Nesse sentido, não há unanimidade em quantos segmentos devem compor uma carteira de ações. Isso porque a quantidade dependerá, também, do valor investido. Segundo especialistas, o ideal é que esse número fique entre 5 e 10 setores.

Além disso, deve-se prestar atenção nos segmentos mais vulneráveis em momentos de crise. Durante a pandemia, por exemplo, turismo e entretenimento sofreram muito com o isolamento. Por outro lado, o e-commerce disparou por causa do fechamento das lojas. 

Para isso, você deve se manter razoavelmente informado sobre os movimentos da economia.

4. Utilize indicadores para avaliar se o preço da ação está adequado 

Por fim, é importante que você conheça alguns indicadores que podem mostrar se a ação está cara ou barata. Nesse sentido, o P/L (razão entre preço e lucro) e P/VP (razão entre preço e valor patrimonial) podem lhe dar uma boa sensibilidade de valor.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo